terça-feira, 31 de agosto de 2010

Carregado de mais...


          Agora pouco, por volta das 17 horas, na rua Comendador Rheingantz com a Plínio Brasil Milano, um caminhão betoneira não conseguiu vencer a íngreme lomba por estar muito carregado, acabando por ficar equilibrado apenas nas rodas traseiras, como se vê na foto.
          Pouco antes, eu estava na Eudoro Berlink, na direção bairro, quando presenciei a dificuldade que o mesmo caminhão teve para fazer uma outra curva lomba acima; tive que ficar esperando ele fazer uma lenta manobra, com todo o cuidado. O sinal abriu para os carros da Eudoro Berlink, direção em que eu estava, mas preferi ficar aguardando que ele terminasse a curva, pois seria arriscado passar por trás dele. Notei que estava supercarregado, pois as rodas da frente mal conseguiam tocar o asfalto. Em seguida, tive um compromisso rápido naquela mesma quadra, e perdi o caminhão de vista.
          Depois que fiz meus compromissos, em cerca de dez minutos, peguei novamente o carro pela Eudoro Berlink até o final, onde é obrigatória a conversão à esquerda na Comendador Rheingantz, que segue duas quadras em direção à Plínio, em uma lomba bastante íngreme. E foi aí que eu reencontrei o caminhão, e resolovi parar para tirar umas fotos. Como tinha muito fluxo de carros, essa foi a única imagem que tirei pegando-o por inteiro.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Simbolismo - Árvore Solitária


          Essa imagem eu queria que fosse a capa do livro Mundo Paralelo, mas não tinha pixels o suficiente... Eu que bati e editei a foto. O céu estava cinzento, mas não com todas essas núvens aí. A árvore, é claro, também editei. Acho essa imagem fantástica, pois parece carregar um simbolismo muito forte... O dourado vivo da árvore, contrastando com a paisagem cinzenta. A árvore é como se fosse uma pessoa solitária. Ela fica no fim de uma longa estrada, que termina na laguna do patos (aqui no RS). Nesse lugar fizemos um acampamento que entrou para a história, mas isso já é assunto para outro momento... Agora, aqui, o importante é olhar e dizer o que se sente. Que emoções nos movimenta? Eu arriscaria dizer que essa imagem nos poderia gerar muitas emoções, pois acabamos por nos identificar com a árvore. No entanto, o que exatamente sentimos, isso depende de pessoa para pessoa. Não sei, eu escreveria até uma poesia, baseando-se nessa imagem... É muito bonita!

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Sobre a Felicidade...

Hoje é meu aniversário! E, como um bom poeta, farei meus planos de como curtir este dia intensamente. Talvez compre um bom vinho, coloque uma boa música... Mas, após um inferno astral gigantesco, enfim cheguei à melhor das conclusões da minha vida: EU SOU FELIZ!

É que eu me apaixono, sim, e por isso acabo também sofrendo de vez em quando. Mas isso também é ser feliz, pois encaro a infelicidade como um obstáculo a ser superado, uma oportunidade para se encarar no espelho e se reinventar. Contudo, para que isso possa acontecer, o mais importante é se entregar à vida, é conseguir aproveitar cada detalhe, por mais bobo que seja, com o máximo de intensidade possível. E isso é o que alguns chamam de "espiritualidade elevada" talvez. E eu tenho isso! Eu serei feliz na vida, disso eu tenho certeza. Enfim, desejo isso também a todos vocês!

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Visões de Uma Cega Alma

Escuto as tábuas das paredes
Ao esmorecer da luminosidade
Rangendo com o vento
Que estremece minha casa
Porém não tenho medo
Nem das sombras rastejantes
Nem dos ratos, nem dos gigantes
Que habitam minha mente

Meu quarto está escuro
Não vejo quase nada
Somente vejo silhuetas
De certas sombras macabras
E nunca saí de casa
Nunca vi o que há lá fora
Porque minha casa não tem portas
Nem janelas, nenhuma entrada

Porém não tenho medo
Sem desejos fabulados
Às dores, resisto sempre
Em eterna madrugada
Querendo muito, algumas vezes
Um abraço de verdade
E, no entanto, a algo me rendo
À vontade de sonhar


          Essa poesia foi escrita por mim há cerca de 5 anos e é a primeira que exponho publicamente, embora parte dela tenha sido empregada no meu livro Mundo Parelelo, mesmo que com outro significado.
           Acho interessante que às vezes a causa da inspiração que se teve para uma determinada obra é esquecida, como acontece aqui. Quero dizer... Eu não lembro do que me emocionou a ponto de escrevê-la. No entanto, o sentido simbólico de qualquer poesia fica de certa forma inalterado. Mas, além disso, cada pessoa pode ler e chagar a inúmeros outros significados diferentes dos que o autor originalmente quis passar. E isso é bom que aconteça; essa é a liberdade das artes de modo geral.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Meu livro (Mundo Paralelo) no site da Cultura

          Meu livro está sendo vendido no site da Livraria Cultura, por 20 reais, conforme se vê no link abaixo. Mas, para quem fizer o pedido diretamente a mim, cobrarei apenas 10 reais mais as taxas de entrega (ou seja, menos o lucro da Cultura).
          É sempre bom ver o seu livro sendo vendido, fico muito satisfeito. No entanto, fico ainda mais satisfeito quando as pessoas o leem e depois me dão algum retorno, qualquer crítica que seja, pois, se escrevo, escrevo para "alguém". Na época eu ainda não tinha feito esse blog, mas, no próximo livro, vou imprimir o endereço daqui, para que as pessoas possam ler mais textos meus (minhas postagens), e possam criticar construtivamente o que escrevo, opinar etc.
          Além disso, este blog ainda está em construção. Criei-o no fim do ano passado, mas só agora começei a futricar nessas coisas. O meu objetivo, a partir de agora, é começar a postar mais, expressar-me mais, já que aqui descobri um meio de fazer isso. Então, em breve começarei a postar poesias, textos, pensamentos, ideias... O que for.