terça-feira, 26 de outubro de 2010

A Falsa Política do Brasil

Aqui perto da minha faculdade existe uma pichação na parede que diz tudo: “Se votar mudasse alguma coisa, seria proibido”. Serra ou Dilma? Faz muita diferença? Claaaaro que faz: muda um pouco o foco para onde vai a grana, nada mais. Como assim...?

Veja as propagandas políticas. Metade delas é apenas músicas, danças, e a outra é só falação dispensável. Quanto por cento das propagandas é usado para falar de propostas sérias? Quase nada! E isso que nem falei das propagandas de deputados: “Vote em Fulano de Tal, número 69969”. (...) Por que eu votaria nessa pessoa que eu nem conheço? Ele por acaso disse o que propõe? É, minha gente, vamos ser sinceros, as pessoas escolhem seus deputados primeiramente porque ele pertence a algum partido, depois, porque simpatizaram ou não com a cara dele. Não é verdade? E de que isso adianta? É por isso que os políticos continuam roubando adoidado! E depois eles ainda vem botar a culpa em VOCÊ, eleitor, porque foi você quem votou na pessoa errada! Mas, poderíamos mesmo votar em alguém “certo”? Será que existe esse alguém?

Claro, você deveria ter pesquisado na internet pelas propostas deles, pelo histórico de carreira, para ver o que ele já fez. Mas, alguém sabe como fazer isso? Será que o povo em geral realmente teria saco para uma coisa dessas? Bom, deveria, eu sei que deveria. Mas, os poucos que fizerem não seriam suficientes, pois seria preciso uma educação e conscientização do povo geral. Não basta apenas que algum ator famoso apareça na TV dizendo: “vote consciente, escolha bem seu candidato”... Porque isso somente faz algum sentido? Muda grandes coisas? Não! É preciso muito mais do que isso, o que inevitavelmente demandaria investimentos em educação, com verba do governo........... Mas será que seria de interesse dos políticos investir nisso?

No último debate dos candidatos à Presidência antes do primeiro turno, achei que o Plínio falou muitas verdades sobre esse sistema. E não estou aqui defendendo o Plínio, não digo que ele seja o melhor candidato, nem quero fazer propaganda eleitoral para ninguém. Mas, pode-se ver que talvez existam partidos com idéias diferentes, mas, por que as pessoas não votam neles? Primeiro... São partidos com pouca expressividade, pouco dinheiro, pouca influência... segundo, as pesquisas do IBOPE apontam para a vitória dos primeiros dois ou três. Ou seja, quem votar em partidos pequenos acaba entendendo que o seu voto não irá servir para nada. Perguntei para os meus pais por que eles não votariam no Plínio, já que gostaram do que ele disse nos debates, e eles disseram algo do tipo “E desperdiçar meu voto com alguém que não irá ganhar?”. Ou seja, veja bem para que serve a porcaria do IBOPE! As pessoas, mesmo gostando das idéias de alguns candidatos menores, acabam desviando seus votos nos candidatos que estão ganhando. Assim, o povo em geral acaba sendo induzido a concentrar seus votos apenas em certos partidos “melhores”. Porra! Por que não fazer segredo sobre as intenções de votos? Não seria mais democrático se deixassem as pessoas votarem nos candidatos que acharam melhor, sem influência de votar nos candidatos que estão mais cotados?

Um exemplo de que as propagandas políticas não servem para nada é o Tiririca ter sido eleito, e com mais votos do que o Plínio, que era para presidente. Quer dizer, o outro vai lá, faz umas palhaçadas na TV e o povo escolhe ele só porque acha engraçado... Ou foi por protesto que votaram no Tiririca? Sei lá, talvez alguns sim, mas penso que tem muita gente que vota só pela graça. É, esse é o povo brasileiro mesmo, um monte de gente engraçada... Sem querer generalizar, é claro.

E agora, no segundo turno... só nos resta votar em Dilma ou Serra. Somos obrigados a votar, ainda por cima! E quem vota nulo ainda acaba com a consciência pesada, pois pensa “Puxa vida, eu poderia ter votado no menos pior, pelo menos... Agora meu voto não serviu para nada!”

E quem ganha as eleições? Quem tem a melhor proposta, ou quem tem a melhor campanha política, ou quem contrata os melhores marqueteiros? Você sabe se é verdade tudo aquilo que é dito na TV? “Deve ser", você pensa. Será? Bom, verdade ou mentira, ou distorção da verdade... Se um político disser “Investi 100 milhões em educação” e o outro disser “investi 200 milhões na educação”, enquanto governadores de sei lá qual Estado, você certamente irá pensar que o que investiu em 200 milhões é o melhor, não é mesmo?

O problema é que existem sertas artimanhas que eles usam durante seus mandatos. Por exemplo, investir em viadutos e obras faraônicas vale muito mais a pena do que investir em tecnologia, pois os viadutos estão lá, para todos verem, pode-se tirar fotos para serem exibidas na próxima campanha. Começar a construir um novo hospital é mais interessante do que investir para melhorar outro, mesmo que a obra demore anos para ser terminada, ou nem se conclua. Ou seja, tudo o que eles fazem, ou quase tudo, é para conseguir votos. Enquanto ninguém levar um tiro em uma esquina perigosa, ninguém irá concertar a luminária queimada, ou aumentar o policiamento.

Depois de tudo isso, vocês acham que o Brasil não tem solução?? Sim, o Brasil tem solução!! No entanto, essa solução depende dos que estão no poder: e essas pessoas não são o povo.