terça-feira, 9 de novembro de 2010

Poesia "Rosa Azul" - Concurso Poemas no Ônibus 2010

Rosa Azul



Estava aquela rosa em meu caminho
Acerca de uma estrada pedregosa
Um laço ensolarado, então, sorrindo
Postou-se a enaltecer suas belas formas

Azuis são as doces pétalas cheirosas
Que aos poucos a observar-me iam se abrindo
E as folhas que de leve o orvalho toca
Pendiam a ocultar-me alguns espinhos

Se o céu reflete ali deixa um pedaço
E o favo até inveja algumas vezes
Aquele tal doçura o ter negado

Assim eu quero ver-te para sempre
Pois quando está minh’alma ao teu regaço
O aroma do infinito é meu presente



          Este é o poema que enviei para participar do Concurso Poemas no Ônibus de Porto Alegre. É um soneto, decassílabo, com rima rica e chave de ouro... Cheio de significado, simbolismos...Acho bonito escrever com toda essa estruturação, porém, o lado ruim que eu acho é que a poesia fica um pouco mais aprisionada, sendo que se tenta empregar o talento para que, mesmo assim, ela pareça mais solta. Por esse e outros motivos que penso que esta ficou muito boa. Pena que não venci o concurso, sabe-se lá do que os jurados não gostaram...

3 comentários:

  1. Ficou ótima a poesia gostei, está bem a cara da época do simbolismo mesmo...
    Quanto a sua revolta por não ter ganho, acontece, o caso é que as pessoas morrem de preguiça de pensar mesmo rsrs

    ResponderExcluir
  2. Sim, acho que os jurados nem entenderam o significado da poesia. Será que não dá pra entender que a rosa é o simbolismo de uma mulher? E ela ser azul tem a ver com alguma particularidade dela? (No caso, é uma mulher que tem olhos azuis... Não é símples de se supor isso?) E cada detalhe descritoaí é uma característica da mulher, só que não vou ficar aqui descrevendo tudo, a pessoa que tem que se ligar a cada vez que lê. Toda poesia é assim. Quem nunca teve que reler umas 10 vezes algumas poesias de Drummond?

    ResponderExcluir
  3. sim a poesia é assim, só que na época do Drummond por exemplo isso era ser bom para escrever por isso ficou imortal sua poesia.

    Hoje, se quiser ser considerado bom, tem que escrever uma poetrix ou um Haikai... que diga-se de passagem eu tenho uma aversão exacerbada por ser resumido, demasiadamente simplista e exigir mínima capacidade crítica ou de dicernimento...

    ResponderExcluir