segunda-feira, 23 de abril de 2012

Maus Hábitos Alimentares

Hoje passei no shopping para jantar. Novamente, olhei as filas dos restaurantes e lanchonetes e fiquei me perguntando veementemente: por que as pessoas preferem muito mais as redes de fast-food? Estava olhando a multidão de gente se amontoando em frente ao Mc Donald's. Por que não comer em um buffet bem diversificado e nutritivo? Tem muitos que são ruins também, mas tem outros que valem muito a pena. Por que preferir um copo de refrigerante de máquina a um de suco?

Quanto a mim, posso dizer que raramente peço um lanche desses e até digo que é gostoso. Quer dizer, não sou radical. Mas acredito que essas comidas não têm razão de ser preferidas, e o principal motivo é que não fazem bem à saúde. A função mais básica do ato de comer não é justamente o de fornecer os nutrientes necessários à vida? Sim. Ou seja, comer comidas que não realizam bem essa função é o mesmo que ter um problema de saúde e procurar atendimento com uma pessoa que não é entendida no assunto (um charlatão, por exemplo).

Como acreditava Stuart Mill (Utilitarismo), a vontade é suscetível ao hábito. Aplicando a esse exemplo, o hábito da má alimentação, desde a infância, acaba por despertar o desejo por essas comidas ruins. Veja como as crianças são levadas pelos pais até o Mc Donald's: como uma grande recompensa, como se aquilo fosse um manjar dos deuses. Além disso, o marketing se encarrega de pescar o público infantil com brinquedos de brinde, personagens temáticos. Qual criança que não acaba caindo nessas armadilhas? Portanto, da próxima vez que for ao shopping, lembre-se: não pode ser boa por si mesma uma comida que não seja nutricionalmente saudável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário