sexta-feira, 12 de abril de 2013

Fala-me dois defeitos teus

Alguma vez já te perguntaram, em uma entrevista de emprego ou de estágio, "FALA-ME DOIS DEFEITOS TEUS"?

Penso que é o maior absurdo fazer uma pergunta dessas. Pensa bem... Se tu revelares teus principais pontos fracos, teus defeitos, vais estar-te auto-prejudicando. Seria muita burrice, ou mesmo inocência. Por outro lado, quem é esperto, mas não quer ser desonesto, ressaltará detalhes ínfimos ou defeitos que já estão quase a ponto de ser resolvidos, e fará questão de mostrar essa resolução de seus problemas também como qualidades. Por fim, haverá também o mentiroso, aquele que vai descobrir na hora um defeito que, por outro ângulo, pode ser considerado como uma grande qualidade. Por exemplo:
-Eu sou muito agitado, não consigo parar quieto, sempre tenho que estar fazendo algo.
-Eu sou um pouco introvertido... Acho que por isso acabo estudando muito também...
-Acho que eu falo de mais... Sempre tenho que estar conversando com alguém.

Bom, talvez tu possas estar te perguntando: "Mas, serão essas umas mentiras?" A priori, não. Entretanto, a mentira nisso tudo está em que a pessoa inventou isso na hora. Duvido que essas pessoas não teriam outros defeitos mais importantes a dizer! Duvido muito! Contudo, são espertas de mais para revelá-los. Assim, ocultam a verdade, distorcem-na. E isso não é nada mais do que uma mentira.

Por todos esses motivos, pergunto: "QUAL A NECESSIDADE DE SE FAZER UMA PERGUNTA DESSAS?"

Nenhum comentário:

Postar um comentário