quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Nina Delícia




Penso naquela rosa
De todas, a mais linda
Pergunto-me como pode
Tão perto e assim distante

Que euforia é essa que me enamora?
Que fogo é esse que tanto queima?
(silêncio lá fora)
Minha mente vê-te, meu corpo implora

Minha rosa? Nina Delícia
Assim coloquei teu nome
(Mas também chamaria Clarice...)
De onde vem paixão tão louca...?

Oh! Penso em ti e não adianta
“Nina, Nina...” (paixão indescritível)
Minha mente combustível por teu corpo chama
E incendeias minha vida


À minha amada, Nina.
13/10/2013


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário