domingo, 13 de abril de 2014

Amor e Felicidade



Era uma vez, num lugar muito distante, um leão solitário que vagava pela selva. Ele era um leão grande e feroz, e, por isso, todos sempre dele fugiam.

Certo dia, ele encontrou uma linda libélula pousada na grama. E achou estranho ela não ter voado para longe. Então, perguntou-lhe o motivo. Ela respondeu que não sabia voar. E que, por isso, passava o dia todo ali.

“Mas por quê você não sabe voar?”, perguntou o leão. E ela respondeu que, quando era bem pequena, tinha-se perdido de sua mãe e de sua família. Disse que estava perdida desde então e que, por isso, nunca ninguém a tinha ensinado.

Então, o leão disse-lhe que, se ela quisesse, poderia ajudá-la.

“Mas como quer me ajudar, se você também não sabe voar?”, perguntou a libélula.

E ele respondeu que a colocaria sobre as suas costas. E que, enquanto ele andasse por aí, ela iria sentir o vento em seu corpo. Assim, aos poucos, poderia ir batendo as asas e talvez aprendesse. Ela gostou da ideia, e os dois saíram por aí.

Aventuraram-se por inúmeros lugares. E acabaram se apaixonando. Assim, continuaram juntos o tempo todo, para lá e para cá. A libélula até esquecera de que antes queria voar, pois estava se divertindo bastante.

Então, em um certo dia, a libélula estava distraída e acabou caindo das costas do leão. Bateu suas asas, bateu, bateu e, de repente... estava voando! Os dois comemoraram alegremente aquela conquista.

A libélula, então, testando suas novas habilidades, saiu por aí a voar, deixando o leão sozinho novamente. E ela voou por sobre o mar, por sobre o deserto, por sobre rios. E eram lugares aonde nunca o leão poderia levá-la.

Então, a libélula voltou de seu voo inicial, encontrando o leão bastante triste. E ele lhe contou que estava assim porque não mais ficariam juntos, já que, agora, ela seria livre para voar para muito, muito longe.

Mas a libélula também não parecia contente. Disse ela que o mundo era muito bonito, mas que não tinha nenhuma graça sem a companhia das pessoas que se ama.

O leão olhou para a libélula intrigado. “Mas, eu não posso voar como você, não posso ir por todos os lugares aonde você for...”, questionou.

E a libélula, com um sorriso nos lábios, respondeu: “Mas eu posso. E ficarei ao seu lado para onde você for, pois, não importa aonde minhas asas são capazes de levar-me, eu é que devo levá-las para onde possa ser feliz.”